Decisores Governamentais em Ressano Garcia

Os Ministros dos Transportes e Comunicações, Mateus Magala e da Indústria e Comércio, Silvino Moreno trabalharam na Fronteira de Ressano Garcia, esta sexta-feira, 16 de Setembro corrente, com a Missão do Banco Mundial e representantes da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), no quadro das reformas em curso no Corredor de Maputo. Integraram a visita os Vice-Ministros das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Cecília Chamutota e dos Transportes e Comunicações, Amilton Alissone, operadores de infraestruturas do corredor, entre outros intervenientes.

No final da visita, o Ministro Magala disse serem irreversíveis as reformas em curso para a transformação dos principais corredores de trânsito em plataformas de oportunidades económicas, onde floresce a indústria, comércio, agricultura e outras actividades que exploram o potencial instalado nestas zonas, para gerar emprego e desenvolvimento do País e da região.

Moçambique recebe, de 13 a 17 de Setembro corrente, uma missão do Banco Mundial de pré-identificação do potencial para a implementação do Projecto de Corredores-chave de Comércio Verde e Resiliente.

A Missão tem como objectivos iniciar diálogo com o Governo da República de Moçambique e demais partes interessadas na melhoria da eficiência do Corredor de Maputo – Gauteng, bem como a identificação das potenciais componentes, assistência técnica e mecanismos para a implementação deste projecto.

De entre as reformas em curso na fronteira de Ressano Garcia, o Ministro anunciou que estão em implementação medidas para a simplificação do desembaraço de mercadorias que culminaram com a digitalização dos processos. “É com muita satisfação que constatamos que os processos tramitados nesta fronteira já não usam mais papel e levam menos tempo”, disse Magala.

A eficiência do Corredor de Maputo levanta outros desafios, uma vez que os operadores tendem a aumentar os volumes de carga, sendo fundamental acelerar o processo de transferência de carga pesada que circula na N4 para o sistema ferroviário. A menos de seis meses entravam para o país, através de Ressano Garcia, cerca de 700 camiões diários, quantidade que hoje atinge cerca de 1500 camiões. 

Os desafios identificados para acelerar as reformas em curso no Corredor de Maputo serão objecto de um workshop a ser realizado em Maputo, ainda este mês, juntando todos os intervenientes na cadeia logística do Corredor de Maputo, desde decisores governamentais, operadores de infraestruturas, utilizadores, entre outros.

Related Articles