Imprimir 



Esta mesa-redonda surge no âmbito da Iniciativa Sueco-Moçambicana das Tecnologias de Informação e Comunicação, com o objectivo de debater o impacto das TICs na sociedade sueca e moçambicana, como também de promover a partilha de experiência e maior colaboração no ramo das tecnologias, numa perspectiva comercial entre os dois povos.

A conferência juntou os provedores e reguladores dos serviços de telecomunicações de Moçambique e da Suécia, no quadro do estreitamento das relações de cooperação e comércio entre os dois países. A Suécia fez-se representar, no evento, por uma delegação composta por oito empresas líderes do ramo das TICs e dois economistas seniores dos Correios e da Agência de Telecomunicações.

Na abertura da conferência, a vice-ministra dos Transportes e Comunicações, Manuela Rebelo, avançou que Moçambique aposta na massificação do uso das TICs, como forma de ampliar o acesso à informação, facilitação do comércio, formação, entre outras facilidades.

Neste contexto, continuou Manuela Rebelo, “vários projectos estão em implementação, desde a construção e a expansão de infra-estruturas de telecomunicações, implementação do processo de migração de radiodifusão analógica para digital, massificação e regulação do mercado de telecomunicações, entre outras iniciativas de capital importância para o desenvolvimento do País”.

Numa outra abordagem, a vice-ministra dos Transportes e Comunicações referiu que, “se efectivamente as TICs desempenham um papel importante na dinamização do desenvolvimento do País e no acesso ao conhecimento global, não podemos descurar que estas trazem um enorme desafio na componente da cibersegurança”.

No entanto, conforme sustentou Manuela Rebelo, “várias questões se nos colocam sobre a preparação dos nossos cidadãos para lidarem com este fenómeno que já está a interferir na educação das crianças, na privacidade e na segurança dos cidadãos, para além de crimes cibernéticos”.
Nesta abordagem, a governante desafiou os presentes a reflectirem, igualmente, sobre as possíveis soluções para esta situação.

Falando também na abertura desta mesa-redonda, o assessor sénior para o ministro da Economia e Inovação da Suécia, Stefan Noreén, referiu que as TICs representam uma área importante para o capital humano, como também contribuem para o crescimento da economia moçambicana.

Stefan Noreén fundamentou a ideia com recurso a um estudo recentemente realizado na Suécia, segundo o qual, quando a taxa de penetração da Banda Larga de um país aumenta em 10 por cento, o PIB aumenta em 1 por cento.