Igualmente, foi reforçada a capacidade nas cidades da Beira, Dondo, Xai-Xai, Mossuril e na Área Metropolitana de Maputo (que inclui as cidades de Maputo e Matola e os distritos de Boane e Marracuene), tendo sido abrangidas rotas consideradas importantes no escoamento do tráfego nestes municípios.
“É nosso objectivo alocar mais autocarros e distribuí-los de acordo com as necessidades de cada um dos municípios do nosso País visando a facilitação da mobilidade de pessoas e bens, de forma sustentável, segura e digna”, disse Carlos Mesquita, ministro dos Transportes e Comunicações, que falava na quarta-feira, 31 de Janeiro, na cerimónia de entrega de 38 autocarros com capacidade para 90 passageiros a três associações de operadores privados da Área Metropolitana de Maputo.
Na ocasião, Carlos Mesquita referiu-se à necessidade da revisão da tarifa em vigor para garantir a sustentabilidade e continuidade do investimento na melhoria, modernização da frota dos autocarros, alargamento do número de rotas e na qualidade e capacidade do serviço de transporte.
Contudo, defendeu Carlos Mesquita, “a revisão da tarifa deve considerar todos os factores relevantes, sobretudo a acessibilidade do serviço de transporte público para a população de baixa renda. O Governo fará de tudo para que isso aconteça porque está ciente de que o transporte urbano desempenha um papel fundamental para o desenvolvimento económico, social e humano”.
À margem desta cerimónia, foi assinado um memorando de entendimento entre o Fundo de Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações (FTC) e o Moza Banco visando a promoção da imagem desta instituição bancária nos autocarros ora entregues.
Este memorando, de acordo com o presidente do Conselho de Administração do Moza Banco, João Figueiredo, “vai ajudar o FTC a reforçar a capacidade e impulsionar o desenvolvimento e sustentabilidade do sector dos transportes e, por via disso, melhorar a vida dos utentes”.