Esta garantia foi dada ao Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, que, sete meses após o lançamento da primeira pedra, visitou aquele local, a 28 de Março último, para se inteirar do estágio das obras desta importante infra-estrutura.
A nova ponte, orçada em 560 milhões de meticais, desembolsados pela empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), vai oferecer maior segurança na circulação dos comboios, para além de permitir o uso de vagões de até 27 toneladas por eixo, contra os actuais 18.5 toneladas por eixo. Estes aspectos significam muito para os importadores e exportadores pois a mercadoria chegará em menos tempo ao destino, reduzindo desta feita os custos de transporte
Para além das obras de construção da nova ponte ferroviária sobre o rio Umbelúzi, o ministro dos Transportes e Comunicações visitou as obras de reabilitação da pista do Aeroporto Internacional de Maputo e o Terminal de Combustíveis da Matola.
No aeroporto, Carlos Mesquita inteirou-se dos aspectos técnicos dos trabalhos que estão a ser executados e afirmou que a reabilitação visa conferir maior qualidade à pista e, por conseguinte, rentabilizar o Aeroporto Internacional de Maputo.
“A avaliação das companhias aéreas que usam a pista é positiva e esse é um bom indicador para continuarmos a conquistar o tráfego internacional, que tem estado a crescer. Prova disso é que mais duas companhias passarão a escalar a cidade de Maputo, sem contar que houve uma que decidiu fazer ligações directas. Isso é resultado da qualidade dos nossos serviços”, disse Carlos Mesquita, momentos depois de visitar as obras.
Entretanto, o ministro dos Transportes e Comunicações apelou à manutenção regular para garantir a qualidade e longevidade da infra-estrutura, cujas obras de reabilitação, orçadas em 65 milhões de dólares, deverão ser entregues em meados do mês de Dezembro.
Para além da reabilitação da pista, de 3.660 metros de comprimento, as obras consistirão também na modernização do equipamento utilizado na sinalização vertical e horizontal e das luzes de aproximação. Exemplo disso é a colocação de lâmpadas LED (diodo emissor de luz), que são mais económicas em relação às que eram usadas anteriormente.
Já no Terminal de Combustíveis da Matola, Carlos Mesquita falou da necessidade de criação de melhores condições de segurança das infra-estruturas e das instalações com vista a reduzir a sua vulnerabilidade.